sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O episódio de Chaves que foi proibido na TV



Produzido pela Televisa, e criada pelo ator Roberto Gómez Bolaños, “Chaves” estreou exatamente no dia 20 de junho de 1971, no canal 8. Mostrando as experiências de algumas pessoas que residem em uma pequena vila mexicana, onde o garoto Chaves apronta inúmeras travessuras como seus amigos que estudam com ele, gerando diversas confusões e mal-entendidos entre os moradores da vila.

Desde o inicio do seriado, Gómez Bolanõs já teria decidido que o programa seria destinado ao público adulto, porém a história mudou, e o seriado conquistou a atenção tanto de adultos como também das crianças.

Um dos capítulos que foi extremamente proibido nos anos 70 mostra cenas de conteúdo violento, coisa que geralmente não é comum nos episódios exibidos. Pela primeira vez no seriado “Chaves”, os telespectadores viram sengue nas cenas.

O episódio mostrava o Seu Madruga trabalhando como carpinteiro, e acaba se cortando gravemente com uma serra. A tragédia teria acontecido graças a mais uma travessura do personagem Chaves, que está usando uma camiseta com a figura do personagem Chapolin Colorado. O episódio termina com o Seu Madruga sendo transportado em uma maca para receber os primeiros socorros. Infelizmente, não se sabe qual foi o desfecho do acidente.

Confira matéria original e completa clicando aqui

Emboscada - Caligari part. Patrick Horla [Análise do Clipe]


[CONFIRA O CLIPE LOGO ABAIXO DA MATÉRIA]


Há uns dois meses o rapper e DJ Caique, vulgo Caligari, divulgou em seu canal do youtube um clipe de um som intitulado de Emboscada, este em parceria com o polêmico Patrick Horla.

Já vi o clipe diversas vezes e agora para analisar vejo mais algumas, ambos acordam em o que parece ser um cativeiro, o Caligari começa a mandar sua rima assim que o "Jason Voohers" entra em cena.

"Cai nessa emboscada,
Me levaram pro meio do nada
Com as mãos amarradas"

 Esse verso define o começo da track, chegando com uma lírica pesada, fazendo uma clara crítica ao trap, como no verso a seguir.

"Torturado por ainda ser boom bap,
Não fazer os trap, eu sou o rap
Com ou sem snapback"

Enquanto manda a rima o cenário ao redor dá um ênfase enorme em relação à música, o Caligari expõe sua opiniões em sua levada.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

7 vídeos bizarros que valem a pena conferir [Compilação EuTeConto]

Passei um bom tempo afastado do Mortalha por motivos pessoais e alguns problemas com o Google, algo que esclarecerei em uma postagem especial onde a temática será o futuro do blog. Mas enfim, tudo em seu tempo, vamos ao que interessa.

Nesse meio tempo estive sem postar muita coisa, e como vocês, leitores do Mortalha sabem, possuo uma parceria com o canal Eu Te Conto, que ao longo do tempo criou outro projeto, o Você Sabia?, do qual também divulguei estes trabalhos aqui no blog. 
[veja as categorias]

Porém, o Eu Te Conto voltou com tudo, os parabenizo pelos mais de 20.000 inscritos no canal, e para a nossa felicidade, tenho uma playlist enorme de vídeos inéditos aqui no blog do canal  para postar/divulgar.

Clique em "mais informações" para conferir essa bizarra compilação

domingo, 18 de setembro de 2016

5 feridas emocionais da infância que podem persistir na idade adulta

 
 Embora não seja regra absoluta, não podemos negar que nossa infância e primeiras experiências afetivas podem influenciar na maneira como que lidamos com os relacionamos posteriores e na leitura que temos das coisas que acontecem ao nosso redor.

As boas e más experiências infantis afetam sim nossa qualidade de vida quando adultos. Influenciam também, depois, em como trataremos nossos filhos tanto do ponto de vista do afeto quanto do enfrentamento de adversidades. Agiremos, reproduzindo os comportamentos que conhecemos ou seremos diferentes?

Abaixo, estão descritas 5 feridas emocionais segundo a especialista em comportamento canadense Lisa Bourbeau. Para a autora, são elas algumas das mais determinantes nas dificuldades de relacionamentos que as pessoas podem carregar ao longo da vida adulta posterior.
 

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Jonestown e o maior suicídio em massa da humanidade


James Warren "Jim" Jones foi o fundador e líder do culto Templo dos Povos, famoso devido ao suicídio/assassinato em massa em novembro de 1978 de 918 dos seus membros em Jonestown, Guiana, além do assassinato do congressista Leo Ryan e de quatro mortes adicionais em Georgetown, capital guianense. 
Quase 300 crianças foram assassinadas em Jonestown, quase todas por envenenamento por ingestão de cianeto. Jones morreu de um ferimento de bala na cabeça; suspeita-se que sua morte foi um suicídio.

Jones nasceu em Indiana e começou o Templo do Povo na década de 1950. Ele mudou a sua seita para a Califórnia em meados dos anos 1960 e ganhou notoriedade com o movimento da sede da igreja em São Francisco, no início de 1970.