segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

As Senhoras de Salem














Um filme escrito, produzido e dirigido pelo notório Rob Zombie, e protagonizado por sua esposa, Sheri Moon Zombie. Repleto de cenas de adoração satânica e simbolismo oculto, temos parcialmente duas protagonistas (no singular e plural), a Hendi e algumas bruxas no qual seu passado as condenam, a levando assim a ser condenada, compreendemos isso no decorrer do filme.

Heidi (Sheri Moon Zombie) é a DJ da estação de rádio da cidadezinha de Salem, Massachussetts, notória pelo julgamento sumário de sete bruxas, queimadas vivas sob a acusação de terem realizado rituais satânicos usando mulheres da vila, nos idos de 1696. 

Depois que uma misteriosa caixa de madeira contendo um disco de vinil chega às mãos de Heidi, e ela escuta o macabro som, a sua vida se torna um indefinido limbo entre a loucura e a sanidade. A caixa é, conforme uma nota escrita, “um presente dos lordes”, e, quando o disco é tocado, revela uma sinistra melodia que se assemelha a uma gravação reproduzida ao contrário.


quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Baba Vanga e suas aterradoras profecias realizadas, também sobre 2016 e um futuro não muito distante





















A mística cega que, aparentemente, previu o ataque de 11 de setembro, o tsunami em 2004, o acidente nuclear de Fukushima e o nascimento do Isis, fez algumas previsões sobre 2016 e o futuro.

Nascida na Bulgária, a profetisa Baba Vanga, que morreu em 1996 com 85 anos, era conhecida como a “Nostradamus dos Balcãs”, graças a uma taxa de sucesso de 85% em suas previsões, sendo reverenciada na Europa como uma espécie de santo sobrenatural.

Das centenas de previsões que Vanga fez durante sua carreira de mais de 50 anos, ela previu grande parte dos desastres relacionados às mudanças climáticas do mundo. Ela advertia sobre o derretimento das calotas polares e o aumento das temperaturas do mar desde 1950, décadas antes ninguém tinha ouvido falar do aquecimento global.


quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Amor só de mãe


Amor só de mãe é um curta metragem brasileiro de horror produzido em 2002. 

São vinte de um minutos de acontecimentos macabros que se desenrolam numa noite de satanismo, morte e orações à Nossa Senhora da Cabeça.

O filme possui cenas de sexo explícito e violência, dando uma pitada saborosa nesse curto espaço de tempo junto de sua trilha sonora, que inclusive foi premiada.

Assista o curta no Porta Curtas clicando aqui

sábado, 16 de janeiro de 2016

O que a morte significa/representa?! Parte III
















A MORTE RONDA MEUS PASSOS
NÃO TENHO MEDO DELA
JÁ VI SUA FACE
É PÁLIDA, AMIGA
JÁ ESTENDEU SUA MÃO
... NÃO TEMO, NÃO FUJO
CAMINHO AO SEU LADO

"Tatiane Lemos Portilho"


O que a morte significa/representa?! Parte II























I - Reflexões de Cezar Augusto Santos, acadêmico de psicologia

Papo de morte 



        Falar sobre a morte sempre é falar um pouco de si mesmo, de como o sujeito se relaciona com a própria finitude. Finitude? Então começa a polemica, pois o que é morte para uns é o inicio de outra vida para outros. A morte assume os mais diversos significados, ela pode ser: o inicio; o fim; a solução; ou a inevitável desgraça humana. A coisa, aquela em que nem devemos pensar. 

       Paradoxalmente penso que refletir sobre a morte é a priori refletir à vida, logo que a vida – humana e terrestre até onde se sabe – é tudo o que acontece entre o nascimento até a morte e nada pode tornar-nos mais conscientes de estar vivos e das implicações disto do que saber que um dia já não mais estaremos. Isso pode ser não só perturbador, mas libertador também.


O que a morte significa/representa?! Parte I
















I - As reflexões de Hindy (Hindemburgo de Carvalho Lisboa),um místico/mestre/filósofo. 

"Para os entes queridos, saudades.
Para o agente funerário, lucro.
Para os vermes, comida.
Para o médico, fracasso.
Para o mártir, vitória.
Para o marxista, capitalismo.
Para o teórico, tese.
Para o antropólogo, cultura.
Para Drácula, sangue.
Para o que padece, alívio.
Para o que crê, esperança.
Para o descrente, vazio.
Para o sociólogo, laboratório.
Para o legista, formol.
Para o sacerdote, caminhada.
Para os amantes, solidão.
Para a terra, húmus.
Para os anjos, companhia.
Para os demônios, sarcasmo.
Para o Guru, retorno.
Para a comadre, assunto.
Para o chato, enfado.
Para o jornal, nota.
Para o cinema, bilheteria.
Para o coveiro, salário.
Para o jovem, desperdício.
Para o caçador, mais um.
Para o santo, recompensa.
Para o criminoso, resgate.
Para o trânsito, congestionamento.
Para o político, discurso.
Para o filósofo, dúvida.
Para o marceneiro, madeira.
Para o niilista, e daí?!
Para o agnóstico, sei lá!
Para o humorista, piada.
Para o fatalista, amanhã serei eu.
Para o indiferente, quem?!
Para o otimista, ficou bonito(a)!
Para o policial, rotina.
Para o hippie, viagem.
Para o juiz, processo.
Para a carola, reza.
Para o alquimista, transmutação.
Para o general, baixa.
Para o exausto, repouso.
Para o genro, enfim sós.
Para o inimigo, já vai tarde!
Para o cartório, herança.
Para o navio, naufrágio.
Para o prudente, cuidado.
Para o insensato, inevitável.
Para o palhaço, brincadeira.
Para o amigo, ausência.
Para o médiun, psicografia.
Para o poeta, soneto.
Para Graci, dissertação".


sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

5 Doenças que parecem ter saído de filmes de terror























Existem muitas doenças que podem ser curadas com uma simples prescrição médica feita por um médico. Mas, nem sempre é esse o caso. Por mais violento que o ser humano seja, ao longo da história, o maior carrasco da raça humana tem sido as doenças.


domingo, 10 de janeiro de 2016

Paranoid Park
















Um jovem de 16 anos, Alex, decide ir sozinho a um parque que é o paraíso dos skatistas (Paranoid Park), onde é chamado para uma "volta de trem" por Scratch, enquanto os dois se penduram no vagão de um trem, um guarda da estação tenta afugentá-los com sua lanterna. Alex tenta afugentá-lo com seu skate, o guarda cai de costas nos trilhos paralelos e é cortado ao meio por outro trem. Atormentado, Alex tenta se livrar de seu skate e suas roupas, mas a polícia acaba por descobrir que o acidente fora causado por um skatista. Aconselhado por uma amiga, Alex escreve uma carta sobre o incidente, também contando sobre os dias precedentes e posteriores, a trama segue a carta.